sábado, 14 de agosto de 2010

Guinness

Bom, como eu imagino que o post sobre a experiência com a Guinness pode gerar curiosidades resolvi postar sobre ela hoje.

Guinness é uma cerveja irlandesa cuja história teve início em 1759, quando Arthur Guinness alugou uma fábrica em Dublin, na Irlanda, e começou a produzir sua cerveja. Em 1862 adotou a Harpa irlandesa como símbolo.



A cerveja irlandesa começou sua história em 1759 no coração da cidade de Dublin - em St. Jame’s Gate - onde Arthur Guinness alugou um galpão e os terrenos que o circundavam por míseros £45 ao ano, em um contrato de arrendamento de 9 mil anos, de uma família inglesa, que não acreditava no sucesso da empresa, iniciando assim a produção de sua própria cerveja, lançada inicialmente no mercado com o nome de GUINNESS PORTER. Somente em 1794 a cerveja começou a ser consumida na cidade de Londres. Em 1802, o primeiro carregamento da cerveja é exportado para as Índias Ocidentais. Em 1827 a cerveja é exportada para Serra Leoa, sendo a primeira vez que a cerveja ingressava no continente africano. Quando adotou a Harpa Irlandesa como símbolo em 1862, e registrada em 1876, GUINNESS já fazia parte da vida dos irlandeses. A tradicional inspira-se na Harpa O’Neill (também conhecida como Harpa de Brian Boru) feita no século 17 ou no 18. Quase 21 anos depois a St. Jame’s Gate foi considerada a maior cervejaria do mundo com produção anual de 1.2 milhões de barris. Por manter sempre um rigoroso foco na qualidade de sua produção, mesmo durante todo o período de expansão, a GUINNESS tornou-se em 1908 a cerveja mais consumida do mundo. Em 1963 foi inaugurada na Nigéria a primeira cervejaria da marca fora da Grã Bretanha.


No ano seguinte a cerveja começou a ser produzida na Austrália, em 1965 na Malásia e no Canadá. Finalmente em 1967 a cerveja GUINNESS DRAUGHT foi introduzida no mercado americano. Na Europa, algumas datas comemorativas são sinônimos de GUINNESS e uma tradição da marca como o St. Patrick’s Day (dia de são Patrício), o Dia Mundial do Rock e o Halloween (Dia das Bruxas), que também tem origem celta e foi levado para os Estados Unidos pelos Irlandeses.



Com quase 300 anos de história, a cerveja é produzida com a mesma composição que a consagrou: malte irlandês, água de Dublin, lúpulo e levedura. O malte é torrado, o que lhe confere a coloração rubi-avermelhada e o paladar tostado. Esta mistura única proporciona uma cerveja tipo stout, de alta fermentação, cujo balanço entre o amargor do lúpulo e a doçura do malte é facilmente perceptível. E há 10 anos desenvolveu o sistema de chope em lata, alcançando tecnologia jamais vista no mercado cervejeiro.

Segundo o site oficial existem 3 tipos diferentes da cerveja:

A Draught Guinness - Disponível em Chopp, Latão e Long Neck
A Extra Stout - Disponível em Garrafa
E a Foreign Extra - Disponível em Garrafa, Lata, e a Extra Smoth

Agora vem o mais interessante... O misterioso efeito cascada da cerveja... Que é o que diferencia essa cerveja de qualquer outra.
Vejam só o que significa esse efeito:
video
E não se iludam, há quem diga que é porque a cerveja está quente. Eu mesmo já tomei ela trincando de gelada e o efeito é o mesmo.
A GUINNESS possui um grande diferencial que é uso do Nitrogênio. Tanto na versão barril, como na versão lata e garrafa long neck, utiliza além do gás carbônico (CO2) também o Nitrogênio (N2). A mistura correta destes dois gases, além de manter o sabor, compacta e diminui as “bolhinhas” da cerveja, levando o gás totalmente para o colarinho, grande diferencial da GUINNESS. Um colarinho com espuma densa e inconfundível. O típico consumidor de GUINNESS é um profundo conhecedor de cervejas, sempre em busca da melhor qualidade. Como a principal característica da cerveja é destacar a sua aparência, com um grande contraste entre a sua espuma cremosa e inconfundível, graças à mistura com Nitrogênio (N2), e a sua cor negra, é necessário, e essencial, uma série de etapas para servi-la adequadamente. Ao se obter a mistura exata do nitrogênio com o líquido, tem-se o diferencial da cremosidade da espuma e um efeito visual único do gás subindo quando parece estar descendo para o fundo do Imperial Pint (copo de 568 ml). Existem seis etapas, um verdadeiro ritual com duração de exatos 119 segundos, que garantem a perfeita apresentação da GUINNESS:
-
1. O Copo: usar um copo limpo, seco e nunca quente. De preferência, o próprio pint (copo de 568ml) da GUINNESS.
2. O ângulo: segure o pint sobre o bico da chopeira, num angulo de 45°.
3. O primeiro enchimento: puxar a torneira da chopeira para frente, até que o pint esteja ¾ cheio.
4. O repouso: deixar a cerveja descansar no pint por 1 minuto, até a espuma assentar.
5. O segundo enchimento: terminar de encher o pint, empurrando a torneira da chopeira para trás, parando quando a espuma alcançar a borda.
6. Apresentação: colocar o pint na mesa com a logomarca voltada para o consumidor, mostrando que você está servindo um pint perfeito.



video

A cerveja irlandesa também se notabilizou por suas ousadas ações de marketing. Quando fez 200 anos, em 1959, a cerveja GUINNESS, adotou uma criativa ação de marketing para marcar a data: 150.000 garrafas foram jogadas em diversos pontos do Oceano Atlântico. A ação durou seis semanas e envolveu 38 embarcações. Dentro das garrafas havia um rótulo dourado comemorativo, um livreto contando a história da cerveja, instruções de como transformar a garrafa em uma luminária e um vale para trocar por uma caixa de GUINNESS, além de informações sobre o navio que lançou a garrafa. Batizadas de garrafas-gota, as embalagens não eram rotuladas. Em alto relevo havia a inscrição: “1759-1959. Garrafa-gota especial (Oceano Atlântico) para celebrar e comemorar o bicentenário da Guinness”. A empresa garante que ainda há vasilhames à deriva. A expectativa dos fãs da cerveja é grande, pois a cervejaria promete outra grande ação em 2009, quando a marca completa 250 anos. Porém, um dos comerciais mais geniais, como muito outros clássicos criados para a marca, foi criado em 2006. É uma verdadeira superprodução que promove uma aventura visual fantástica e surreal. Intitulado de NoitulovE (a palavra evolution ao contrário), revive o lendário slogan “Good things come to those who wait” (Coisas boas vêm para quem espera). Criado pela agência AMV BBDO de Londres foi dirigido pelo competente Daniel Kleinman, custando cerca de US$ 1.8 milhão, porém a GUINNESS destinou verba de US$ 26.4 milhões apenas para veiculação em TV e cinema. É um comercial com a assinatura e a alma da comunicação da GUINNESS.
video


A marca coleciona diversas histórias. Uma delas conta que foi ao redor de uma mesa de bar, em um encontro regado a cerveja irlandesa, que surgiu o Guinness Book of Records, o mais famoso livro de recordes do mundo lançado em 1955.


E para os sonhadores como eu um aperitivo da fonte:


video


Então não perca mais tempo e vá logo ao revendedor mais próximo pra voce também colocar essa cerveja na sua guela.
Você não vai se arrepender.

Novamente agradecimentos ao MundoDasMarcas




Um comentário:

  1. marcosalive@hotmail.com4 de agosto de 2011 09:52

    Procuro um outro comercial da Guiness long neck, na qual aparecia uma mulher aparentemente de 4, com uma garrafa em pe sobre seu quadril, e nisso aparecia algumas mãos q pegavam a garrafa e tomavam. Fico no aguardo. Obrigado Marcos

    ResponderExcluir